UM NOVO CONCEITO PARA O TRATAMENTO DE ESCLEROSE MÚLTIPLA

MEVATIL®

  • André Roberto Machado Vieira Faculdade Ciências da Vida
  • Lucas Henrique de Souza Teixeira Faculdade Ciências da Vida
  • Wemerson Pereira dos Santos Faculdade Ciências da Vida
  • Jéssica de Jesus Rosa Faculdade Ciências da Vida
  • Monik Ellen Lopes Faculdade Ciências da Vida
  • Brunno Carnevale Miceli Faculdade Ciências da Vida

Resumo

A Cannabis sativa vem se tornando cada vez mais alvo de pesquisas científicas de interesse terapêutico. Pesquisas estas, que vêm demonstrando a eficácia de seus constituintes no tratamento de doenças. No Brasil, o Mevatyl® é o primeiro medicamento a base de Cannabis sativa registrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O medicamento foi enquadrado na categoria de Medicamento Específico, nos termos da RDC nº 24/2011, por conter, como princípios ativos, dois fitofármacos. É um medicamento já utilizado em diversos outros países para o tratamento da Esclerose Múltipla, sendo uma associação de duas substâncias químicas encontradas na Cannabis: Canabidiol e Tetrahidrocanabinol. Estudos científicos demonstram a eficácia do Mevatyl® na redução da espasticidade e na redução da dor neuropática em pacientes com Esclerose Múltipla, além de apresentar boa tolerância. Por meio deste projeto de pesquisa abordamos as características do Mevatyl®, sua eficácia e também avaliamos a aceitação da população pelo uso do medicamento, por meio de um questionário e a resposta da população foi positiva, 82,5% aceita o novo medicamento, 78% aceita a legalização da maconha medicinal, 82,5% usaria a medicação caso houvesse necessidade. 91% da população não tem conhecimento sobre a medicação e 50% da população tem dúvidas se o medicamento causa dependência.
Publicado
2018-05-28
Como Citar
VIEIRA, André Roberto Machado et al. UM NOVO CONCEITO PARA O TRATAMENTO DE ESCLEROSE MÚLTIPLA. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 6, n. Especial, maio 2018. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/783>. Acesso em: 19 out. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##