PREVALÊNCIA DO CONSUMO DE MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS - MG

  • Tássio Trindade Mazala Faculdade Ciências da Vida
  • Ana Flávia Santos Almeida Faculdade Ciências da Vida

Resumo

Frequentemente a população brasileira procura a medicina alopática para o tratamento de doenças. Entretanto, tal hábito pode estar relacionado ao desconhecimento sobre outras alternativas terapêuticas. A homeopatia fundada no século XVIII representa uma dessas alternativas, e discutir sobre a sua procura é de grande relevância. O presente trabalho tem como foco de estudo a população do Município de Sete Lagoas – MG, cujo objetivo consistiu em compreender e descrever sobre o consumo de medicamentos homeopáticos no município, bem como apontar características e informações de pacientes que fazem uso destes medicamentos e os motivos que levaram a buscar a homeopatia como farmacoterapia. Trata-se de um estudo quantitativo. A coleta de dados foi realizada através da aplicação de questionários a 28 pacientes que fazem uso de medicamentos homeopáticos, nos quais 68% eram do sexo feminino, 49% casados, com faixa etária predominante entre 30 a 40 anos (36%), renda média mensal de 1 - 2 salários mínimos (43%), e ensino superior completo (43%). A maioria dos pacientes conheceram a homeopatia por indicação de amigos e familiares (56%), fazem uso destes medicamentos há mais de 10 anos (52%) e optaram pelo tratamento homeopático por ser alternativo e diferente dos convencionais e não apresentar efeitos colaterais (37%). Dentre as principais doenças/condições que levaram os pacientes a utilizar os medicamentos homeopáticos, se destacam os quadros de dores de cabeça, enxaqueca (33%), sendo que os pacientes afirmam ter alcançado o objetivo esperado com o uso dos mesmos (96%). Cerca de 40% dos pacientes entrevistados realizaram acompanhamento com médicos homeopatas trimestralmente e 29% não fizeram nenhum tipo de acompanhamento com estes profissionais. Quase metade deles (48%) não perceberam nenhuma desvantagem no uso dos medicamentos homeopáticos em relação aos alopáticos. Constatou-se uma boa adesão em relação aos medicamentos homeopáticos pela população, considerando o seu contínuo crescimento. Porém, verificou-se a necessidade de um maior número de médicos homeopatas no município e a incorporação do tratamento homeopático no SUS Sete Lagoas, o que contribuirá significativamente para o acompanhamento e facilidade no acesso ao tratamento pela população de baixa renda
 

Referências

DIAS, M. H. S.; MACHADO, F. B. Fundamentos Homeopáticos: O Farmacêutico e os Bioterápicos. Rio de Janeiro: Cultura médica; 2003. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2017.

FLEITH, V. D. et al. Perfil de utilização de medicamentos em usuários da rede básica de saúde de Lorena, SP. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. p. 755-762, abr. 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2017.

FONTES, O. L. Farmácia homeopática: Teoria e Prática. 4ª Ed ver. e atual. – Barueri, SP: Manole, 2012.

NAKAOKA, V. Y.; PEREIRA, A. M. O.; KASHIWABARA, T. G. B. Práticas homeo-páticas e sua representação social. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR. Vol.4, n.1, pp.71-74. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2017.

THOMAZ, L. C. L. Anamnese Homeopática ou consulta Homeopática? A Propósito do Relato de um caso de Vitiligo. Revista de Homeopatia, v. 72, n. 1-2, p. 23-29, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.
Publicado
2018-05-28
Como Citar
MAZALA, Tássio Trindade; ALMEIDA, Ana Flávia Santos. PREVALÊNCIA DO CONSUMO DE MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS - MG. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 6, n. Especial, maio 2018. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/775>. Acesso em: 22 jun. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##