O CONCEITO DE PERVERSÃO PARA A PSICANÁLISE FREUDIANA

  • Fernanda Dupin GASPAR Faculdade Ciências da Vida
  • Ellen BRAGA Faculdade Ciências da Vida

Resumo

O valor moral atribuído ao conceito de Perversão pode ser entendido por meio da tentativa das normas sociais em circunscrever as manifestações da sexualidade dentro do que é concebido como padrão de normalidade. Por isso, tudo aquilo que se apresenta de maneira contrária é visto como desviante, incorreto, maléfico e perverso. Em sua teoria, Freud discorre que a Perversão não se trata de bestialidade humana ou de uma patologia, ao apresentar a ideia de que não há normas no campo da sexualidade, (mas apenas sociais) (VALAS, 1990). Dessa maneira, o presente trabalho objetivou apresentar a definição de Perversão para a teoria psicanalítica, por meio de um recorte epistemológico da obra freudiana. Utilizando como método a Análise de Discurso foi realizada Revisão Bibliográfica, o que permitiu apreender sob quais condições históricas se deu a teorização do termo. Além disso, por meio das obras de Arendt (1999) e Roudinesco (2008) foi possível verificar que a Perversão se apresenta desde os primórdios da condição humana, e que por isso nos é tão próxima.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG; Coordenadora do Curso de Psicologia e docente da Faculdade Ciências da Vida, Sete Lagoas-Minas Gerais
##submission.authorWithAffiliation##
Graduanda de Psicologia da Faculdade Ciências da Vida, Sete Lagoas-MG

Referências

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

FREUD, S. Três Ensaios Sobre a Teoria da Sexualidade. In: Um Caso de Histeria, Três Ensaios Sobre a Teoria da Sexualidade e outros trabalhos. Edição Standart das Obras Completas de Freud, v. VII. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

KAUARK, F; MANHÃES F C; MEDEIROS, C H. Metodologia de pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

ROUDINESCO, E. A parte obscura de nós mesmos: uma história dos perversos. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

VALAS, P. Freud e a Perversão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.
Publicado
2016-03-28
Como Citar
GASPAR, Fernanda Dupin; BRAGA, Ellen. O CONCEITO DE PERVERSÃO PARA A PSICANÁLISE FREUDIANA. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 3, n. 2, mar. 2016. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/77>. Acesso em: 17 ago. 2017.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##