PERFIL DO PACIENTE ATENDIDO NO LABORATÓRIO DE HEMODINÂMICA

  • Bruno Rezende MOREIRA Graduando de Enfermagem da Faculdade Ciências da Vida, Sete Lagoas – MG
  • Fernanda Pereira GUIMARÃES Bióloga, Mestre em Botânica, Docente da Faculdade Ciências da vida, Sete Lagoas – MG

Resumo

As doenças cardiovasculares constituem as principais causas de morte no mundo, atribuídas aos diversos fatores de risco, idade, hipertensão arterial, genética, dislipidemias, tabagismo e diabetes mellitus. O Laboratório de Hemodinâmica é uma unidade onde são realizados exames específicos ou procedimentos determinantes para melhor sobrevida do doente. Neste contexto, o objetivo desta pesquisa foi caracterizar o perfil dos pacientes atendidos em um setor de hemodinâmica em Sete Lagoas – MG, através de uma pesquisa de campo documental de caráter qualitativo e descritivo, com coleta de dados clínicos dos pacientes atendidos durante todo o mês de agosto de 2015. Foram coletados dados de 112 pacientes, sendo 67% do sexo masculino e 71% com idade entre 51 e 80 anos. Os principais procedimentos realizados foram cateterismo cardíaco (62%) e angioplastia coronariana transluminal percutânea (23%), seguido 21% da PTCA eletiva e 6% da arteriografia. Os procedimentos de menor número (5%) foi o CAT junto a PTCA, sendo feitos apenas nas urgências e emergências. Os fatores de predisposição as doenças arteriais de maior constância foram o tabagismo e histórico familiar de infarto, que obtiveram 48% e 49%, respectivamente. A dislipidemia estava presente em 41% dos pacientes e a diabete mellitus em 33%. Quando os fatores de riscos foram associados, 31% dos pacientes apresentavam dois fatores de predisposição e 32%, três fatores de predisposição. Na presença de dois e três fatores de risco para doenças arteriais houve atendimento de 31% e 32% de pacientes. Dos 112 pacientes 5% não apresentavam nenhum fator de risco para doenças arteriais e apenas 4% manifestavam os cinco fatores de risco avaliados. Apesar de a porcentagem ser baixa, geralmente aos pacientes com mais fatores de risco tendem a apresentar maior probabilidade de manifestar doenças ateroscleróticas. Dessa forma, para minimizar os fatores de risco que promovem o aumento das doenças cardiovasculares, o enfermeiro pode atuar na educação em saúde em busca de alternativas para oferecer uma melhor qualidade de vida do paciente. Palavras-chave: Doenças cardiovasculares. Hemodinâmica. Papel do enfermeiro.

Referências

NADRUZ JUNIOR, W. Diagnóstico e tratamento dos fatores de risco. Com Ciência, n. 109, 2009. Disponível em: . Acesso em 10 set, 2015.

ALMEIDA, M. C. et al. Perfis Epidemiológicos entre os Sexos na SCA. Revista Brasileira de Cardiologia, v. 27, n. 6, p. 423-429, 2014. Disponível em: . Acesso em 10 set, 2015.
Publicado
2015-11-30
Como Citar
MOREIRA, Bruno Rezende; GUIMARÃES, Fernanda Pereira. PERFIL DO PACIENTE ATENDIDO NO LABORATÓRIO DE HEMODINÂMICA. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 3, n. 2, nov. 2015. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/65>. Acesso em: 23 out. 2017.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##