CONTRIBUIÇÕES DA TERAPIA ANALÍTICO-COMPORTAMENTAL PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DE ADOLESCENTE COM HISTÓRICO DE AUTOLESÃO:

UM ESTUDO DE CASO

  • Maíra Luiza Simões da Silva Faculdade Ciências da Vida
  • Lucirley Guimarães de Sousa Araújo

Resumo

As mudanças ocorridas durante o processo de desenvolvimento da adolescência podem ser vistas como um período de vulnerabilidade e desequilíbrio, que poderá ser vivenciada de maneira saudável ou patológica, sendo definida através da forma com que o indivíduo enfrentará as novas situações. Nesse contexto, muitos adolescentes acabam adotando a autolesão como uma alternativa para lidar com o caos interno. Este estudo visa analisar as contribuições da Terapia Comportamental para a melhoria da qualidade de vida de adolescente com histórico de autolesão. Foi realizado um estudo de caso de abordagem qualitativa e natureza descritiva, utilizando análise de conteúdo, a participante é uma adolescente de 15 anos com histórico de autolesão. Foram realizadas dezenove sessões de psicoterapia comportamental, ao longo de 2016. A relação terapêutica entre terapeuta e cliente aconteceu de forma aberta desde o início dos atendimentos, sendo que a cliente sempre se mostrou receptiva a terapia. Os resultados obtidos no processo terapêutico demonstram que a cliente passou a se sentir mais segura, elevou sua autoestima, houve melhoria no relacionamento com os pais, mudança de hábito com relação à autolesão, não havendo recaídas durante todo o período dos atendimentos. Conclui-se que a Terapia Comportamental atingiu o objetivo de contribuir na melhoria da qualidade de vida da adolescente. Sugerem-se novos estudos com ampliação e variação amostral.
Palavras-chave: Autolesão. Adolescente. Terapia Comportamental.
Publicado
2017-12-15
Como Citar
DA SILVA, Maíra Luiza Simões; SOUSA ARAÚJO, Lucirley Guimarães de. CONTRIBUIÇÕES DA TERAPIA ANALÍTICO-COMPORTAMENTAL PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DE ADOLESCENTE COM HISTÓRICO DE AUTOLESÃO:. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 6, n. 1, dez. 2017. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/467>. Acesso em: 16 ago. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##