PARECER-SER/PARECER-TER

A PSICOLOGIA EXISTENCIAL COMO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO SOBRE O SUJEITO CONTEMPORÂNEO - DESAFIOS E LIMITES ACERCA DA PRÁTICA PROFISSIONAL CLÍNICA.

  • Marcela Feliciano Rezende de Oliveira Faculdade Ciências da Vida
  • Bárbara Gonçalves Mendes

Resumo

O presente trabalho propõe uma discussão acerca do sujeito contemporâneo e seus modos de constituição identitária na atualidade que reverberam na esfera biopsicossocial, sob a ótica da teoria Existencial Fenomenológica, onde o parecer-ser/parecer-ter, parece sobressair aos modos de vida autênticos, esvaziando o Ser de si mesmo. A pesquisa de campo realizada com um grupo de cinco psicólogos clínicos atuantes na área, levantou alguns fenômenos que apontam para contradições acerca do que é sustentado enquanto discurso e modelo de vida e aquilo que aparece como demanda no setting terapêutico, causando incômodo e reverberações significativas. Os dados coletados foram tratados qualitativamente e analisados através do método fenomenológico que permitiu a análise da realidade em questão, levando-se em consideração a experiência vivida por meio desses fenômenos. O psicólogo por sua vez em seu fazer clínico, confronta-se com o desafio de atuar na contramão dessa atmosfera criada, mantendo o compromisso de auxiliar o sujeito em sua busca pela consciência cada vez mais aprofundada e elaborada do seu EU verdadeiro.
Palavras Chaves: Psicologia, Contemporaneidade, Existencialismo, Clínica.
Publicado
2017-12-14
Como Citar
OLIVEIRA, Marcela Feliciano Rezende de; MENDES, Bárbara Gonçalves. PARECER-SER/PARECER-TER. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 6, n. 1, dez. 2017. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/421>. Acesso em: 22 fev. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##