Levantamento de plantas medicinais utilizadas em domicílios do bairro Maracanã, Prudente de Morais/MG

  • Talita Rodrigues Silva Faculdade Ciências da Vida
  • Francielda Queiroz Oliveira

Resumo

Os estudos etnobotânicos buscam o conhecimento tradicional e empírico sobre plantas medicinais e informações terapêuticas, além de auxiliar na busca por desenvolvimento de novos fármacos. Portanto, o presente trabalho teve o objetivo de realizar um levantamento das plantas medicinais mais utilizadas pelos moradores do bairro Maracanã, Prudente de Morais/MG. Trata-se de estudo quantitativo, de natureza descritiva, realizado através de pesquisa de campo. O total de entrevistados foi 50 moradores, compreendidos entre 92% (n= 46) do sexo feminino e 8% (n= 4) do sexo masculino. Dos 50 entrevistados, 100% afirmaram cultivar e utilizar plantas medicinais em seus domicílios. Foram evidenciadas 26 espécies, com prevalência de uso destacaram-se: hortelã (Mentha sp), manjericão (Ocimum basilicum L.), poejo (Mentha pulegium L.) e macela (Achyrocline satureioides L.). Em relação às partes utilizadas das plantas, 90% (n= 45) relataram usar as folhas, quanto à forma de preparo, 82% (n= 41) têm preferência pelo chá. Sobre a fonte de conhecimento a respeito das plantas medicinais, 46% (n= 23) dos entrevistados disseram que aprenderam com os pais. Quanto à orientação farmacêutica ou médica para utilização das plantas, 98% (n= 49) disseram não ter procurado orientação profissional e 96% (n= 48) não acreditam que as plantas medicinais podem causar malefícios a saúde. Desta forma, pode-se perceber que o conhecimento tradicional exerce forte influência sobre o uso de plantas medicinais para suprir necessidades básicas da população.
Palavras-chave: Plantas medicinais. Conhecimento Tradicional. Etnobotânica. Medicina Popular.
Publicado
2017-12-14
Como Citar
SILVA, Talita Rodrigues; OLIVEIRA, Francielda Queiroz. Levantamento de plantas medicinais utilizadas em domicílios do bairro Maracanã, Prudente de Morais/MG. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 5, n. 5, dez. 2017. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/396>. Acesso em: 19 out. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##