A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS QUE VIVEM EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA

  • Rafaela Dornelas Dias Faculdade Ciências da Vida - FCV
  • Mariana Cotta (Orientadora) Faculdade Ciências da Vida - FCV

Resumo

A presente pesquisa objetiva compreender a percepção dos idosos frente ao seu processo de institucionalização em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI’s), compreender também a relação com os familiares após sua institucionalização e a relação entre os idosos e os profissionais da instituição. Trata-se de um estudo qualitativo de natureza descritiva em que se realizaram entrevistas semi-estruturadas com 9 idosos residentes na Vila Vicentina de Sete Lagoas/MG. Os resultados indicam que a maioria dos entrevistados não deseja estar institucionalizados por sentirem falta da casa própria, da privacidade e aconchego. Alguns relatam não ter sentido mudança em seu relacionamento familiar. Estão sempre em busca de uma justificativa para dizer o porquê seus familiares não os vêem com a mesma frequência de antes da institucionalização. Além disso, mesmo tendo um bom convívio com os funcionários da instituição, foi perceptível que nem todos os profissionais estão preparados para lidar com as necessidades de alguns idosos e a quantidade de cuidadores no local não é suficiente para atender a demanda.
Publicado
2017-07-17
Como Citar
DIAS, Rafaela Dornelas; COTTA, Mariana. A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS QUE VIVEM EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], v. 5, n. 3, jul. 2017. ISSN 2525-359X. Disponível em: <http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/119>. Acesso em: 17 nov. 2017.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##